Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Free Theme for Plone

Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial

Inicial

A Revista Eletrônica REGGEN - UFC (Nordeste) publicará os resumos dos trabalhos apresentados pelos conferencistas, pelos debatedores das Mesas Redondas e pelos participantes qualifiquem a apresentação de seus trabalhos.

O Seminário de lançamento da Subsede Nordeste da REGGEN (Rede de Economia Global - Global Economic Network) e Cátedra da UNESCO/UNU (Universidade das Nações Unidasem Economia Global e Desenvolvimento Sustentável sob o tema O Paradigma da Economia Global e Desenvolvimento Sustentável à Formação Docente e Discente em Educação tem por objetivo apresentar, debater e intercambiar a diversidade de concepções teóricas e experiências docentes desta linha de investigação, formação e prática educacional no Brasil e no exterior sob a coordenação pedagógica e administrativa desta instituição. Tal propósito tem por leitmotiv elevar a qualificação e proficiência da formação de docentes e discentes, pesquisadores e especialistas em educação brasileira na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará (FACED-UFC) e demais instituições de ensino superior na região Nordeste, fundado na universalidade desta disciplina científica e nas conexões de rede e parcerias da REGGEN, tais como: Instituto de Investigaciones Económicas (IIE) e Centro de Estudios Latinoamericanos (CELA), ambos da Universidad Nacional Autónoma do México (UNAM); Centro de Investigaciones de la Economia Mundial (CIEM), Cuba; Chinese Center for Third World Studies e Academia de Ciências Sociais, China; Fernand Braudel Center, EUA; Groupement d'Intérêt Scientifique Pour l'Étud de la Mondialisation et du Développement (GEMDEV), França; Institute of World Economy and International Relations - Russian Academy of Sciences (IMEMO), Federação Russa; Universidad de Barcelona, Espanha; e Benemérita Universidad Autónoma de Puebla (BUAP), que abriga a subsede mexicana da REGGEN.

A REGGEN é precursora do Programa UNITWIN de redes e parcerias entre universidades (University Education Twinning and Networking Scheme) da UNESCO. Foi criada em janeiro de 1997, em reunião de especialistas internacionais em economia convocada pela UNESCO e pela UNU, com o objetivo de estabelecer conexões entre centros de pesquisa e docência de todos os continentes para realizar estudos sistemáticos sobre a globalização e sua articulação com as realidades regionais e nacionais. A partir de seu convênio com o Centro de Educação Popular e Pesquisas Econômicas e Sociais (CEPPES), que o constituiu como sua secretaria executiva, passou a dirigir seus esforços à formação docente instituindo a disciplina Economia Global e Desenvolvimento Sustentável na cadeira de Economia política da educação no curso de graduação, licenciatura, pós-graduação e extensão universitária, portanto, instrumento privilegiado para o reforço das capacidades e intercâmbio de conhecimentos solidários e cooperativos Norte-Sul e Sul-Sul, logo, estratégia para enriquecimento multilateral das instituições conveniadas. Eis porque suas principais parcerias são universidades e instituições de pesquisa, ONGs de educação superior, fundações e organizações do setor público e privado.

A iniciativa do Grupo de Pesquisa e Trabalho (GPT) do Departamento de Fundamentos da Educação da FACED-UFC em constituir a REGGEN/Subsede Nordeste oferece à comunidade de educação superior na região esta possibilidade de associar-se à ação da UNESCO para alcançar os objetivos da Agenda Global, atualizar e ampliar o currículo escolar de formação dos educadores, incorporando este novo paradigma educacional desenvolvido pela dinâmica das relações econômicas sociais e políticas da sociedade humana contemporânea imprescindível aos educadores brasileiros em geral, da região Nordeste em particular, e do estado do Ceará, em especial.

A forma de seminário acadêmico para o lançamento da REGGEN desempenha duplo papel relevante: primeiro, modelar experimentalmente a didática e a construção interativa e sinérgica dos saberes teóricos e práticos da disciplina através de seus sujeitos históricos e atores principais, uma vez que tornou-se mister a importância da formação docente em caráter nacional, regional e global; segundo, porque constitui uma instância mais participativa para criar novos programas de ensino, gerar novas ideias de pesquisa e reflexão, além de facilitar a melhoria dos programas universitários existentes pela integração da diversidade cultural. A flexibilidade do Programa Rede/Cátedra UNESCO permite às universidades responderem às demandas por novos aprendizados com mais rapidez e maior autonomia.

O lançamento da REGGEN se dará em um momento histórico, dada a demanda por sustentação do crescimento econômico, social e político da região Nordeste, em particular do Ceará. Apesar de crescer na última década a ritmo superior ao PIB do Brasil, passando a liderar neste ano de 2013 o crescimento da região com PIB estimado em 4 % (IPECE, 2013), o estado do Ceará continua a ostentar baixa renda per capita de R$11,9 mil. Em 2010, o PIB per capita foi de R$9.217, ocupando o 23º lugar entre os 27 estados da federação, acima apenas dos estados da Paraíba, Alagoas, Piauí e Maranhão, apesar de possuir a 12ª economia do país e a 8ª população (IPECE, 2012). Além disso, a criação da Cátedra como disciplina ativa na graduação e pós-graduação da FACED-UFC contribuirá com a meta de universalização da educação assumida pelo Brasil desde o Fórum Mundial da Educação em Dacar (2000), cuja efetivação foi frustrada pela “crise econômica mundial” como reconheceu a própria UNESCO em seu informe de setor da EPT1 (2010) e que, sem dúvida, agudizou sequelas históricas no país em geral e no Estado do Ceará em particular, como demonstraram as manifestações de Junho de 2013.

Porém, o que mais contribui para a relevância deste projeto é a própria retórica oficial do governo de eleger a educação como prioridade estratégica ao contínuo desenvolvimento sustentável do país. As declarações e iniciativas governamentais, como a destinação de 75% dos royalties do pré-sal, além dos 10% do PIB nacional à educação, apresentam-se como ação histórica revolucionária, pois contrariam àquilo que foi realizado pelas classes dominantes durante os ciclos do ouro, da borracha e do café na história do Brasil. Além de exportar commodities, também se exportou o futuro educacional e a sustentabilidade do país, posto que os recursos resultantes de tais processos não se destinaram a constituir a base de recursos intelectuais e técnicos para o desenvolvimento da sociedade sobre nova base estrutural material e relações de produção mais justas, igualitárias e solidárias.

Por último, existe um fator mais decisivo que aparenta embasar inteiramente a importância dos objetivos e propósitos deste Seminário de Lançamento da Rede/Cátedra UNESCO, que se condensa na própria crise de paradigmas da sociedade capitalista atual, que embora pareça invisível, os sintomas podem ser percebidos nas teorias das ciências em geral e da educação em especial, exigindo o repensar pedagógico em toda sua plenitude. A crise, em sua essência - ora compreendida pelos pós-modernos como grande censura epistemológica à razão; ora compreendida como nova revolução científica - exige a mudança de paradigmas, particularmente nas ciências sociais; logo, não é possível pensar a problemática da formação educacional fora de tal contexto. As teses que afirmam a falência da economia política, em seu aspecto macroeconômico  clássica, neoclássica e marginalista (neoliberal e keynesiana) – esgrimem a insolubilidade da crise do capital como evidência teórica e prática da incapacidade gnoseológica desta disciplina para com seu objeto, o que remete a ciência e a educação a um problema de dimensão ontológica. Este problema parece mais complexo do que supõe a vã filosofia. As formulações teóricas que relacionam o problema ambiental, derivado das alterações climáticas, à crise do capital elevam a questão ontológica à dimensões planetárias, como enunciam cientistas, ambientalistas e ecologistas fundados nas relações predatórias entre o homem e a natureza. Sem dúvida, estes dois novos fatores – economia global e desenvolvimento sustentável – são paradigmas que justificam, de per si, o estudo como fundamento inextrincável à formação de docentes e especialistas na atualidade, cuja função é formar, formular e praticar os domínios dos saberes e o convívio com o outro, em suas similitudes e diferenças.

Neste sentido, o Seminário de Lançamento da REGGEN e da Cátedra da ONU/UNU em Economia Global e Desenvolvimento Sustentável mais que contribuir para elevar a formação de docentes e especialistas, também buscará sugerir novas perspectivas de abordagens investigativas valorativas e técnicas adequadas aos novos paradigmas de educação incorporados ao currículo. O método das ciências exatas exige das variáveis envolvidas na experiência o mesmo comportamento ou variação previsível; quando há perda de funcionalidade, cria-se o impulso interno à mudança de paradigma. Porém, tratando-se de ciências sociais aplicadas, como são os casos mais notórios da macroeconomia e menos da educação e demais disciplinas afins, a questão sugere amplo envolvimento social, o que demanda ampliação da rede de sustentação, colaboração, produção e difusão das ideias fundamentais em que se assentam este evento do GPT da REGGEN/UFC, do Departamento de Fundamentos da Educação da FACED-UFC e de todas as instituições e organizações públicas e privadas que dele participem.

_______________

*Dr. Aluisio Pampolha Bevilaqua, Cientista Político, Professor e Pesquisador do Centro de Educação Popular e Pesquisas Econômicas e Sociais (CEPPES) e da Fundcação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) e Membro do Conselho Diretor da REGGEN e da Cátedra em Economia Global e Desenvolvimento Sustentável da UNESCO/UNU. Dr. em Educação Nicolino Trompieri Filho, Coordenador do GPT/UFC da REGGEN (Rede Global de Economia – Global Economic Network) Cátedra em Economia Global e Desenvolvimento Sustentável da UNESCO/UNU - subsede Nordeste, Professor do Programa de Pós-graduação da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará (FACED-UFC); Dra. em Educação Maria Isabel Filgueiras Lima Ciasca, Professora e Diretora da FACED-UFC; Dr. Em Ciências Sociais Hildemar Luiz Rech Professor Associado IV do Departamento de Fundamentos da Educação da FACED-UFC; Dr. em Filosofia Eduardo Ferreira Chagas, Professor Associado de Filosofia e do Programa de Pós-graduação em Filosofia da UFC, Professor Colaborador do Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira da FACED-UFC e Coordenador do Grupo de Estudos Marxistas (GEM/Filosofia);1 Informe de setor da Educação Para Todos No Mundo 2010. E quais são essas metas globais da universalização da educação? 1) Atenção e educação da primeira infância; 2) Ensino primário universal; 3) Aprendizagem de jovens e adultos; 4) Alfabetização; 5) Igualdade entre os sexos; e 6) Qualidade (UNESCO, 2005).

This is Schools Diazo Plone Theme